“E Jesus veio e disse-lhes:“ Toda autoridade no céu e na terra me foi dada. Ide, pois, e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a observar tudo o que eu te ordenei. E eis que estou sempre com você até o fim dos tempos. (Mateus 28 18:20)

Os discípulos de Jesus Cristo pregaram o cristianismo e a mensagem evangelística em todo o mundo. Do Reino Unido a todos os cantos da África e Ásia, incluindo a China, os cristãos construíram igrejas vibrantes. Seguimos com sucesso o mandamento de Cristo em Mateus 28 para fazer discípulos de todas as nações. No entanto, olhando para os eventos e circunstâncias que acontecem na igreja, pessoas de todo o mundo estão questionando a ética do cristianismo.

mensagem evangelística
 

Um homem pergunta a Jesus Cristo qual é o maior mandamento.

“E ele (Jesus Cristo) disse-lhe:“ Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com toda a tua mente. Este é o grande e primeiro mandamento. E um segundo é o seguinte: amarás o teu próximo como a ti mesmo. (Mateus 22 37:40)

Como cristãos e como igreja, precisamos fazer algumas perguntas para nós e nossa igreja.
O que nós pregamos?
Nós pregamos amor?
Nós realmente pregamos que Deus é Amor?
Mostramos o amor de Deus através da nossa vida?

Nossa história pregou amor?

Enquanto os missionários estavam alcançando o mundo para pregar o evangelho, seus governantes estavam expandindo seu colonialismo. O comportamento brutal contra as pessoas colonizadas e suas nações estava aumentando. As pessoas que pregavam o evangelho eram frequentemente enganadas como governantes que promoviam o colonialismo, e muitas pessoas de nações em desenvolvimento presumem o colonialismo e os missionários como uma estratégia comum.

No Nepal, meus amigos não-cristãos assumem que o ministério cristão não passa de um jogo político. Os cristãos precisam ver que os governantes das nações cristãs podem não ter pregado o amor nos séculos 19 e 20.
Nossas igrejas atuais pregam amor?

mensagem evangelística

Nosso trabalho na era atual não apoia que o cristianismo seja sobre amor. O parlamento que pede a oração do café da manhã declara guerra a nações que não apóiam as ideologias de seu país. Alguns missionários e organizações cristãs estão mais obcecados em compartilhar sua doutrina do que no evangelho central.
Mesmo como indivíduo, estamos replicando esses erros. Julgamos as pessoas por sua fé. Hesitamos em ter comunhão além de nossa congregação. Se vemos pessoas tendo uma visão alterada do cristianismo, condenamos sua fé e orgulhosamente as declaramos como um anticristo.

O que é mais importante para nós hoje?
Para dizer que você não conhece cristo ou
Deus é amor, e ele te ama.

Pela fé, declaramos que somos justos, mas nos comportamos como um homem rico a partir da história de um homem rico e um homem pobre na Bíblia. Estamos vivendo um luxo de graça, mas não conhecemos o amor. São Paulo, em sua carta à igreja do Corinthians, explica sobre a necessidade de amor em nosso ministério:
“Se falo nas línguas dos homens e dos anjos, mas não tenho amor, sou um gongo barulhento ou um prato estridente. E se tenho poderes proféticos, e compreendo todos os mistérios e todo conhecimento, e se tenho toda fé, de modo a remover montanhas, mas não tenho amor, não sou nada. Se eu der tudo que tenho, e se entregar meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, não ganho nada. ” (1 Coríntios 13: 1–3, ESV)

mensagem evangelística

Às vezes me pergunto o quão bonito seria o nosso mundo se conhecêssemos e seguíssemos o amor. Quão belo seria o nosso presente se nossos conquistadores se lembrassem de que crucificaram Cristo na cruz do Calvário toda vez que promoveram a violência em seu colonialismo?

Quão bonita seria nossa igreja se nos uníssemos, independentemente de nossas denominações e teologia doutrinária? Não podemos mudar nosso passado, mas certamente podemos mudar nosso futuro. Quão bonito será o nosso mundo se pudermos pregar apenas o amor e nada mais?

“Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.” (1 João 4: 8)

Os cristãos de todo o mundo esqueceram o amor? Esquecemos quem são nossos vizinhos? Nossa definição de vizinhos se aplica apenas àquelas pessoas que seguem o cristianismo?
“Ninguém nunca viu Deus; se nos amamos, Deus permanece em nós e seu amor é aperfeiçoado em nós. ” (1 João 4:12)

Vamos continuar a conhecer o amor e espalhar o amor. Vamos aprender a amar nossos vizinhos. Não importa qual religião eles sigam. Ame-os não apenas porque Deus é amor, mas Cristo morreu por nós para que possamos amar um ao outro. Vamos continuar a conhecer o amor.

“O amor é paciente e gentil; o amor não inveja nem se vangloria; não é arrogante ou rude. Não insiste em seu próprio caminho; não é irritável ou ressentido; não se alegra com o mal, mas se alegra com a verdade. O amor suporta todas as coisas, acredita em todas as coisas, espera todas as coisas, suporta todas as coisas. ” (1 Coríntios 13: 4-7, ESV)

Vamos amar nossos vizinhos hoje e sempre.

Fonte